Voltar para Auditoria externa

Auditoria e revisão

Metodologia de auditoria

Objetivos

Nossa metodologia de auditoria é inovadora e tem três principais objetivos:

  1. Comunicar de forma efetiva e antecipada com a administração sobre todos os assuntos relevantes da auditoria.
  2. Agregar valor ao cliente durante a fase inicial da auditoria entregando relatórios para a tomada de decisão.
  3. Promover e incentivar a adoção das melhores práticas de governança, gestão dos riscos e de controle interno.

Diferenciais

Conforme ilustrado graficamente em vermelho a seguir, numa auditoria tradicional, o cliente recebe apenas um parecer de auditoria (AR – Audit Report) e uma carta contendo recomendações (ML – Management Letter). O processo de auditoria está exclusivamente focado na emissão de um parecer de auditoria.

O diferencial da nossa metodologia de auditoria consiste em aproveitar o processo de auditoria para agregar valor ao cliente com a entrega de 8 relatórios (AP, BP, IT, FR, TP, RM, AR e ML), como conclusão dos nossos serviços, que cobrem as quatro dimensões do COSO: Reportes financeiros, Operações, Estratégia e Conformidade.

TRIAKIS COSO - Auditoria e revisão

Metodologia Triakis versus COSO

Relatórios

Atividade Relatório Principais normas de auditoria aplicáveis (NBC TAs / ISAs)
AP – Accounting Practices 1. Práticas contábeis 230, 300, 315, 320, 330, 720
BP – Business Processes 2. Processos 230, 240, 250, 265, 300, 315, 330, 402
IT – Information Technology 3. Tecnologias de informação 230, 265, 300, 315, 330
FR – Financial Risks 4. Gestão dos riscos financeiros / Hedge Accounting 230, 265, 300, 315, 330, IAPN1000, 570
TP – Tax Practices 5. Impostos 230, 265, 300, 315, 330
RM – Risk Map 6. Cartografia de riscos 230, 240, 265, 300, 315
AR – Audit Report 7. Parecer de auditoria EC, 200, 230, 320, 330, 450, 500, 505, 510, 520, 530, 540, 550, 560, 570, 580, 700, 701, 705, 706, 710, 720
ML – Management Letter 8. Recomendações EC, 200, 260, 265

Os 6 primeiros relatórios (AP, BP, IT, FR, TP e RM) são entregues ao cliente durante a fase de planejamento da auditoria. Os dois últimos relatórios, o parecer de auditoria (AR) e a carta com recomendações (ML) são entregues ao cliente após a conclusão dos serviços como em qualquer processo de auditoria.

  1. AP – Relatório sobre Práticas Contábeis (Accounting Practices). Este relatório é um diagnóstico completo da correta aplicação das normas contábeis que é atualizado anualmente pela equipe de auditoria, sem considerar aspectos de materialidade. Sem dúvida, você já deve ter ouvido que determinados assuntos não eram materiais em anos anteriores e se tornaram agora materiais no processo de auditoria. Isso é exatamente o que nós procuramos evitar. Iremos procurar e comunicar eventuais assuntos de auditoria na aplicação das práticas contábeis mesmo que eles estejam ainda em níveis imateriais, para poder sugerir a correção tempestiva antes que o assunto se torne relevante. O relatório sobre as práticas contábeis representa a primeira etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  2. BP – Relatório com Fluxogramas de processos e riscos operacionais (Business Processes). As normas de auditoria requerem que o auditor entenda os principais processos e controles chaves e documente o seu entendimento em seus papeis de trabalho. Nós transformamos esse requerimento em relatório. Cada ano, iremos documentar e entregar um relatório com o mapeamento de 4 processos chaves com os eventuais riscos operacionais identificados por nós com recomendações das melhores práticas para a tomada de decisão. Em apenas alguns anos de auditoria, você irá receber todos os seus processos documentados. O relatório com fluxogramas de processos representa a segunda etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  3. IT – Riscos Operacionais dos SistemasAs normas de auditoria requerem que o auditor entenda os sistemas de informação e documente o seu entendimento em seus papeis de trabalho. Nós transformamos esse requerimento em relatório que você irá receber anualmente com eventuais recomendações de melhoria nos sistemas de informação. O relatório de apresentação dos riscos operacionais dos sistemas de informação representa a terceira etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  4. FR – Relatório sobre a Gestão de Riscos financeiros. As normas de auditoria requerem que o auditor entenda e avalie as políticas de gestão dos riscos financeiros e de hedge. Nós transformamos esse requerimento em relatório que você irá receber anualmente com eventuais recomendações de melhoria da sua gestão ou monitoramento dos riscos financeiros, assim como do seu processo de contabilidade de hedge (hedge accounting). O relatório sobre a gestão dos riscos financeiros representa a quarta etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  5. TP – Relatório sobre Práticas tributáriasVocê irá receber um relatório documentando nossa avaliação da conformidade das suas práticas tributárias. O relatório sobre as práticas tributarias representa a quinta etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  6. RM – Cartografia de Riscos Operacionais. Uma cartografia de riscos é uma ótima ferramenta não somente para monitorar e orientar a gestão dos riscos corporativos, mas também para avaliar as melhorias obtidas ano após ano. As normas de auditoria requerem que o auditor identifique e avalie os riscos de distorção relevantes das demonstrações financeiras e que ele obtenha um bom entendimento dos negócios, das práticas contábeis e tributárias, dos processos operacionais, dos sistemas, da gestão dos riscos financeiros, da governança e do controle interno, entre outros aspectos. Após concluir as cinco primeiras etapas da nossa metodologia, você irá receber uma cartografia resumida dos riscos corporativos identificados por nós e que estará fundamentada nos resultados alcançados nas cinco primeiras etapas de nossa metodologia. A partir do segundo ano de auditoria, você irá receber uma comparação da cartografia com a avaliação do ano anterior para poder monitorar, auditoria após auditoria, os impactos das melhorias implantadas pela sua equipe. O relatório com a cartografia de riscos representa a sexta etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  7. AR – Relatório de Asseguração. Você irá receber o relatório de asseguração, após conclusão da fase final de auditoria como em qualquer auditoria. O parecer de auditoria representa a sétima etapa da nossa metodologia TRIAKIS.
  8. ML – Relatório de Recomendações. Nosso relatório de recomendações irá documentar as eventuais melhorias que tenham sido implantadas entre a visita de planejamento da auditoria e a fase final (na forma de obervações factuais) e nossas recomendações finais sobre os controles internos e qualquer outro assunto considerando relevante durante o processo de auditoria e que não tenha ainda podido ser resolvido. O relatório com recomendações representa a oitava etapa da nossa metodologia TRIAKIS.

Processo de auditoria

Como foi ilustrado acima, nossa metodologia de auditoria é moderna, inovadora, abrangente, organizada, transparente e sequencial e está em conformidade com as normas internacionais de auditoria.

trakis processo - Auditoria e revisão

Metodologia de auditoria TRIAKIS

Nossa metodologia de auditoria em oito etapas e relatórios sequenciais tem objetivos claros e contrasta com as metodologias de auditoria que focam apenas na “asseguração” dos usuários com relação às demonstrações financeiras auditadas. Nós vamos além, procurando agregar o máximo de valor aos nossos clientes como resultado das horas incorridas em campo durante o processo de auditoria.

Metodologia de auditoria TRIAKIS

Optamos por representar nossa metodologia como um OCTAEDRO TRIAKIS. Cada pirâmide do TRIAKIS representa uma das 8 dimensões chaves da nossa metodologia da auditoria.

triakis 2 - Auditoria e revisão

A maior parte do trabalho é executada antes do fechamento das demonstrações financeiras e permite portanto levantar vários pontos de auditoria e oportunidades de melhoria dos processos e dos controles internos antes do fechamento. Assim, nossa metodologia permite antecipar a resolução de vários pontos de auditoria, mesmo que eles sejam ainda imateriais para fins de auditoria e evitar estresses desnecessários pós fechamento das demonstrações financeiras.

Escopos de auditoria

Em aplicação das normas internacionais de auditoria existem três principais escopos de auditoria: 1. Auditoria, 2. Revisão e 3. Procedimentos previamente acordados. Nossa metodologia pode ser adaptada às suas necessidades, conforme apresentado a seguir.

trakis escopo - Auditoria e revisão

Para maiores informações baixe agora a apresentação da nossa Metodologia de auditoria TRIAKIS.

Auditoria (Asseguração razoável)

O objetivo de uma auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações financeiras de uma empresa por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a emissão por um auditor independente de um “relatório de asseguração” (parecer de auditoria) que representa uma opinião sobre a adequada apresentação das demonstrações financeiras como um todo, em conformidade com as práticas contábeis aplicáveis.

Num trabalho de “auditoria” de demonstrações financeiras o auditor emite um relatório expressando uma opinião asseguração na forma positiva, chamada “asseguração razoável”.

Exemplo de opinião de auditoria (“asseguração razoável”)

“Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Companhia ABC em 31 de dezembro de 20X1, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo nessa data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil.” (Fonte: NBC TA 700, 17 de junho de 2016)

Revisão (Asseguração limitada)

O objetivo de uma revisão das demonstrações financeiras é permitir ao auditor independente afirmar se, com base em procedimentos que não fornecem toda a evidência que seria exigida em uma auditoria independente, tomou conhecimento de algum fato que o leve a acreditar que as demonstrações financeiras não tenham sido elaboradas, em todos os aspectos relevantes, de acordo com as práticas contábeis aplicáveis.

Os trabalhos de revisão podem ser prestados por exemplo para avaliar se os critérios contábeis adotados nas demonstrações financeiras de uma empresa estão de acordo com com as práticas contábeis aplicáveis para o atendimento de eventuais requisições da matriz ou atendimento a órgãos reguladores. O alcance de um trabalho de revisão é significativamente menor do que o de uma auditoria conduzida de acordo com as normas de auditoria.

Num trabalho de “revisão” o auditor emite um relatório expressando uma opinião de asseguração na forma negativa, chamada “asseguração limitada”. O trabalho de revisão fornece um nível de segurança limitada que é inferior ao nível de segurança oferecido por uma auditoria.

Exemplo de opinião de revisão (“asseguração limitada”) de acordo com a NBC TG 1000 (Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas)

“Com base em nossa revisão, não temos conhecimento de nenhum fato que nos leve a acreditar que essas demonstrações contábeis não apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Companhia ABC em 31 de dezembro de 20X1, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas.” (Fonte: NBC TR 2400).

Qualificações e habilitações de auditoria

Nossos serviços são executados por profissionais do mais alto padrão técnico de auditoria.

Nossos profissionais são registrados no Conselho Regional de Contabilidade do estado de São Paulo (CRC-SP) e no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI).

Nossas habilitações de auditoria incluem qualificação técnica geral (QTG) para realizar auditorias e habilitações específicas para atuar em auditorias de instituições reguladas pelo Banco Central do Brasil (BCB) e em auditoria de instituições reguladas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

Print Friendly, PDF & Email

Link permanente para este artigo: https://www.cesarramos.com.br/servicos/auditoria/auditoria-revisao/